Central Farma

Fechar

Buscar

Pressione ¨OK¨ para buscar

Ref.

Gel Sensation Woman - Auxilia no Alcance do Orgasmo Feminino

De: R$ 116,00Por: R$ 99,90ou X de

Economia de R$ 16,10

Comprar
Acumule
Pontos Fidelidade:
de bônus para próxima compra!

Gel Sensation Woman 


O gel Sensation Woman, manipulado com alto padrão de qualidade pela Central Farma, é um recurso seguro e de eficiência cientificamente embasada, que ajuda a melhorar a satisfação das mulheres durante a relação sexual. Composto por Alprostadil e Ocitocina veiculados em biolipídeos de alta absorção, O Gel Sensation Woman contribui para:

 

  • Tornar o orgasmo mais fácil de ser alcançado;

  • Aumentar a sensibilidade genital;

  • Potencializar o estímulo sexual;

  • Aumentar a excitação;

  • Tornar o ato sexual mais prazeroso;

  • Facilitar os reflexos nervosos associados à função sexual;

  • Melhorar a circulação sanguínea na região genital;

  • Produzir efeitos locais, com baixo risco de interações ou efeitos sistêmicos;

  • Facilidade de aplicação, além de produzir incrível sensação de frescor.


 

Ciclo de resposta sexual feminina


 

Classicamente, o ciclo sexual feminina é dividido em 4 fases: desejo, excitação, orgasmo e resolução. Essas fases ocorrem de modo sucessivo e a primeira delas, o desejo (libido), é fisiologicamente pouco compreendido, mas consiste em pensar e fantasiar sobre sexo, bem como sentir-se motivada a iniciar e participar da relação sexual, circunstâncias essas, que requerem que a mulher busque o parceiro ou parceira. 

A excitação é um processo iniciado no Sistema Nervoso Central (SNC), seguido da transmissão de sinais que resultam na liberação de mediadores fisiológicos e bioquímicos, modulando o relaxamento da musculatura lisa do clitóris induzindo o aumento de neurotransmissores específicos nas terminações nervosas do colo e vagina. Há também o aumento da lubrificação vaginal e da irrigação sanguínea na vagina e clitóris, implicando na sensação subjetiva do prazer. Nem sempre o desejo precede à excitação, sendo que em algumas situações, a excitação ocorre a partir do início do contato íntimo. 

O orgasmo é o ápice do prazer sexual. Momentos antes, ocorre uma ampliação do clitóris em decorrência do aumento do fluxo sanguíneo nos corpos cavernosos. Na iminência do orgasmo, o clitóris move-se para o interior dos pequenos lábios e iniciam-se contrações musculares no útero que propagam-se para o cérvix e o corpo, além de contrações rápidas dos músculos pélvicos que circundam o ânus. Este fenômeno produz, simultaneamente, a sensação de prazer intenso, calor e contrações involuntárias dos músculos das pernas e braços. 

A resolução é caracterizada pela sensação de bem-estar geral e relaxamento muscular. Diferente dos homens, as mulheres podem responder quase imediatamente a um novo estímulo. 

 

Disfunção sexual feminina


 

A disfunção sexual é multifatorial. Pode ocorrer em consequência de bloqueios de ordem psicológica e/ou fisiológica, sendo parcial ou total, e que ocorra de modo recorrente ou persistente, influenciando uma ou mais fases do ciclo de resposta sexual. Dentre as possíveis perturbações, estão: o transtorno do desejo sexual, transtorno da excitação, transtorno do orgasmo, vaginismo, alterações hormonais e algumas patologias. 

 

O transtorno do desejo, também chamado de transtorno hipoativo, designa a condição em que a mulher possui pouco interesse, ou até aversão sexual. Pode decorrer da  falta de companheirismo, exposição à estímulos inadequados,  disfunção sexual do parceiro, conflitos no relacionamento, como agressividade, mágoa, vingança ou rotina relacional, traumas  psicológicos, histórico de abuso sexual, repressão religiosa , morbidades e uso de medicamentos que interferem na libido.

 

O transtorno da excitação é  quando a mulher não é capaz de manter a lubrificação e satisfação durante a relação, fazendo com o contato íntimo deixe de ser agradável ou até mesmo produza incômodo ou dores desencadeadas pela continuidade do ato nestas desfavoráveis condições.

 

Quanto ao transtorno do orgasmo, definido como atraso ou ausência recorrente do ápice do prazer sexual após uma fase excitatória normal, vários fatores podem estar associados. Dentre eles a dificuldade de entrega, falta de conhecimento sobre a própria anatomia, inabilidade do parceiro em contribuir para proporcionar os estímulos adequados, dificuldade de concentração, ausência de autoerotismo, entre outros. 

 

O vaginismo é uma síndrome psicofisiológica caracterizada pelo enrijecimento involuntário da musculatura ao redor da vagina, produzindo espasmos que interferem negativamente na performance sexual. O impacto é variável, podendo ser leve, quando produz desconforto e tensão durante a penetração, ou severo, quando causa intensa sensação dolorosa (dispareunia) ou até mesmo congestão genital, impedindo a penetração. Tais condições geram, além do desconforto, frustração e aflição pessoal. 

 

Os hormônios estrogênio, testosterona e progesterona desencadeiam efeitos expressivos sobre a circulação e transmissão de impulsos nervosos. Por este motivo, o desequilíbrio desses hormônios pode causar alterações sobre a resposta sexual com muita facilidade. Após a menopausa, o declínio da produção de estrogênio que ocorre no decorrer dos anos, pode diminuir os impulsos nervosos durante o ato sexual, com redução da sensibilidade e excitação. Geralmente a mulher com baixos níveis de estrogênio também é afetada pela secura vaginal em decorrência da falta de lubrificação adequada, tornando o coito doloroso, dificultando o prazer sexual e o alcance do orgasmo.

 

Assim como nos homens, patologias como dislipidemias (alteração no metabolismo das gorduras), hipertensão, diabetes mellitus, síndrome metabólica e outras disfunções podem promover impactos negativos sobre a resposta sexual. Isso porque estes quadros clínicos estão associados a alterações que influenciam a circulação sanguínea, a integridade de estruturas envolvidas na propagação de estímulos importantes, entre outras características fisiológicas.  

 

Alprostadil


 

O Alprostadil é um ativo sintético cuja atividade biológica equivale à prostaglandina E1, uma substância naturalmente produzida no organismo que promove a vasodilatação. A vasodilatação desencadeia o aumento da circulação de sangue na região genital, aumentando a sensibilidade do órgão sexual feminino. Devido à especificidade do Alprostadil, essa modalidade terapêutica não promove efeitos sistêmicos, ou seja, tem ação local, sem afetar outras funções. Portanto, além de ter sua eficiência e segurança amplamente reconhecidas na literatura, não provoca interações indesejadas.

 

O gel transdérmico é aquele que possibilita a absorção através da pele, e neste caso, é muito mais conveniente devido a facilidade de aplicação e promoção de efeitos locais. 

Ocitocina


A ocitocina, conhecida como hormônio do amor, está intimamente envolvida na reprodução humana, exercendo um papel muito importante no estímulo sexual. Durante o ato sexual, os níveis de ocitocina se elevam, atingindo o pico pouco antes do orgasmo. Essa elevação também pode ocorrer como resposta a fantasias sexuais com determinado parceiro ou a outros estímulos. Alguns efeitos como o aumento da sensibilidade e melhora da lubrificação das partes íntimas, relaxamento muscular e aumento da frequência das ereções, demonstram o papel desse hormônio como resposta ao prazer sexual, bem como influência no comportamento após o coito. Isso porque, a ocitocina também está relacionada ao vínculo afetivo entre os parceiros, além de outras funções biológicas importantes. 

Arginina AKG


Além do estímulo à libido, a sensibilidade da mulher aos estímulos sexuais envolve mecanismos fisiológicos importantes, como o aumento da irrigação sanguínea na região genital. A Arginina é um aminoácido precursor de óxido nítrico, que é um potente vasodilatador. Por este motivo, sua aplicação, por ajudar a aumentar os níveis locais de óxido nítrico, contribui significativamente para a melhora da vascularização vaginal. Consequentemente, ajuda a potencializar a sensibilidade e aumentar a excitação durante o estímulo sexual.

Composição

ComposiçãoAlprostatil 750 mcg
Ocitocina 750 ui
mentol 0,02%
estabilizador de radiação UV 0,5%
Biolipídeos de alta absorção 15g

Modo de Usar

RecomendaçõesAplicar 1 pump na ponta do dedo indicador e
massagear a área vulvar 5 minutos antes da atividade sexual.

Advertências

AdvertênciasSuspender o uso em caso de reações alérgicas.

Comentário dos consumidores

De: R$ 116,00Por: R$ 99,90ou X de

Economia de R$ 16,10

Comprar