(Ilustração: Pedro Piccinini/SAÚDE é Vital)


Voc j deve ter ouvido que, em doses moderadas, o lcool pode at ser vantajoso. Ora, vrios estudos comprovam que uma taa de vinho por dia faz bem ao corao. E uma boa parcela da populao toma seu drinque no fim de semana sem riscos. O consumo inadequado, porm, um grave problema de sade pblica e motivo de grande preocupao entre os pais de adolescentes.

No Brasil, meninos e meninas comeam a beber, em mdia, entre os 10 e 13 anos. E o padro de consumo mais frequente na adolescncia o binge, ou beber para embriagar-se, prtica associada a comportamentos de risco, como dirigir alcoolizado e fazer sexo desprotegido, entre outros. Aos 17 anos, quase 40% dos estudantes brasileiros relatam j ter ficado bbado alguma vez. Diante de dados to preocupantes, como podemos mudar esse cenrio?

Medidas restritivas no bastam. At porque a lei existe e, mesmo que fosse bem fiscalizada, vivemos em um pas onde falsificar o RG algo recorrente. Os gestores pblicos precisam, ento, investir em polticas de preveno, e os pais tm que estar mais atentos.

Nos ltimos dez anos tenho ajudado a desenvolver estratgias nesse sentido, buscando evidncias do que funciona para adaptar realidade local, sempre com uma pitada de inovao. No programa Na Responsa, aplicado em parceria com ONGs e escolas, so realizadas atividades com jovens em diversos locais do pas. Prticas que funcionam so multiplicadas.

Um exemplo a Balada sem lcool, evento idealizado em Helipolis, na capital paulista, em que o jovem tem uma experincia de diverso intensa sem bebida alcolica. O programa que j inspirou o Movimento P no Cho, implantado nas 5 300 escolas pblicas de So Paulo aborda tambm temas como conscincia e empoderamento, com contedo todo produzido de jovem para jovem.

Alm do trabalho com os adolescentes, desenvolvemos materiais educativos para os pais. Neles, h dicas como:

Incentive o dilogo, oua o seu filho e fale sempre a verdade.
Promova a autoestima: demonstre interesse pelos seus assuntos, valorize suas aes e ajude-o a superar frustraes.
Tenha uma alimentao saudvel em casa e estimule a prtica de esportes.
Estabelea regras claras: limites devem ser colocados e justificados. E as consequncias, caso no sejam respeitadas, tambm devem ser negociadas.
Lembre-se de sua influncia nas escolhas dos jovens. Seja sempre o exemplo positivo.

*Dra. Bettina Grajcer mdica e coordenadora de projetos de preveno realizados pela Agncia Lynx, em So Paulo.

Fonte: Editora Abril
COMPARTILHE: